julho 01, 2007

Polifonia x Intertextualidade

Tenho lido muita gente falando sobre intertextualidade e afirmando que intertextualidade e polifonia são a mesma coisa. É uma confusão que fazem, talvez porque o conceito de polifonia inclui a noção de intertextualidade, embora o contrário não seja verdadeiro.

Intertextualidade é a inserção, em um determinado texto (base), de um outro texto (referenciado). Ela pode acontecer de forma direta, com o texto referenciado entre aspas [ Clarice escreve que queria se “apossar do é da coisa”. ], ou de forma indireta. O texto referenciado de forma indireta pode ser evidente, como nas paródias

[ Minha terra tem palmeiras
Onde canta o sabiá
As aves que aqui gorjeiam
Não gorjeiam como lá
(Canção do Exílio, de Gonçalves Dias),

Minha terra tem favelas
Onde pipocam tiros
As balas que aqui pipocam
Não pipocam com lá.
(a Canção do Exílio é uma referência explícita) ]
, ou mais sutil, por vezes difícil de ser identificado, como quando expressamos algo como [A morte, por fim, os uniu], fazendo alusão ao texto religioso na celebração do casamento “até que a morte os separe”.

O conceito de polifonia, por outro lado, não se refere somente a textos, como a própria palavra descreve: poli = muitos, diversos; fono = som; voz. É certo que a intertextualidade funciona como uma voz, mas ela é a sua materialização física (fala/escrita). As diversas vozes nem sempre são materializadas na escrita ou na fala, mas em atitudes e crenças, comportamentos ou negações. Quando não aceitamos um crime, estamos reiterando uma voz dos nossos antepassados que nos orientou a formação de um caráter ético e o conhecimento do certo e do errado. Quando repudiamos uma atitude maldosa, estamos reiterando uma voz religiosa que nos orientou no entendimento do que é o bem e do que é o mal. Nossos valores são definidos a partir dessas vozes que estão presentes em nossa formação. Daí, essas vozes são explicitadas no texto que produzimos, consciente ou inconscientemente.

Eu ousaria dizer que a intertextualidade é a utilização/manipulação consciente das várias vozes existentes no universo.

Posted by elirferrari at julho 1, 2007 04:47 PM
Comments
Comentário









Lembrar-se de mim?